quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Texto de autoria desconhecida

Parabéns, colorados!
Eu lembro de ver o INTER perder a final da Copa União para o Flamengo.
Eu lembro de ver o INTER perder a final do Brasileiro para o Bahia.
Eu lembro de ver o INTER perder a semifinal da Libertadores para o Olímpia.
Eu lembro de ver o INTER não ganhar um jogo sequer na Libertadores de 93.
Eu lembro de uma época em que ficar entre os oito primeiros do Brasileirão era o máximo, e de quase nunca ver o INTER lá.
Eu lembro de ver jornais dizendo que o INTER seria rebaixado por não pagar suas dívidas.
Eu lembro de ver o INTER perder para um Bragantino já rebaixado.
Eu lembro de ver o INTER perder para o Ypiranga de Erechim e ficar de fora da final do Gauchão.
Eu lembro de ver o INTER perder o Gauchão para o Juventude no Beira-Rio.
Eu lembro de ver o INTER perder uma semifinal de Copa do Brasil por 0 x 4 no Beira-Rio.
Eu lembro de ver o INTER vender ingressos a R$ 1,00 e apagar as luzes do Beira-Rio para permanecer na 1ª Divisão.
Eu lembro de ver patrolas da Prefeitura derrubando cercas no Beira-Rio.
Eu lembro de ver um Presidente abrindo um cofre e contando moedas no Beira-Rio.
Eu lembro de ver o INTER mandar o Dunga embora de uma forma que me envergonha até hoje.
Eu lembro de ver o INTER ficar mais de três anos sem ganhar gre-NAL.
Eu lembro de ver o INTER precisar ganhar um jogo fora e depender de quatro resultados paralelos para não ser rebaixado.
Eu lembro de achar que o mais difícil não eram os resultados paralelos, mas o INTER vencer.
Eu lembro de tudo isso porque me lembro da chacota dos rivais e da dor que, calado, eu tinha que suportar.
Eu lembro que até o nome do meu time era motivo de deboche.
Mas eu vi e vivi isso tudo e me tornei ainda mais forte.
Eu lembro de ver o INTER ganhar um gre-NAL na casa do adversário depois de anos de humilhação.
Eu lembro de ver o INTER ser humilde e de disputar um Gauchão como uma Copa do Mundo, valorizando cada vitória no interior.
Eu lembro de ver o INTER voltar às competições internacionais.
Eu lembro de ter valorizado um jogo contra o Junior de Barranquilla como se fosse o Mundial de Clubes FIFA.
Eu lembro de ver o INTER disputar e vencer o Campeonato Brasileiro de 2005.
Eu lembro de ver Tinga sofrer pênalti no Pacaembu.
Eu ainda sinto, todo santo dia, a dor pela roubalheira de Sweiter e Márcio Rezende de Freitas.
Eu lembro de ver o INTER desistir de uma ação judicial por ameaças da CBF e da Conmebol.
Eu lembro de ver o INTER voltar à Libertadores 17 anos depois.
Eu lembro de ver o INTER vencer no Uruguai com um golaço do Rentería.
Eu lembro de ter chorado quando o INTER fez um gol na altitude de Quito.
Eu lembro da defesa do Clemer no último lance contra a LDU.
Eu lembro de ter exorcizado o fantasma do passado na semi-final contra o Libertad.
Eu lembro de ver Sóbis e alguns mil colorados calarem 70 mil no Morumbi.
Eu lembro de ver Fernandão se atirar no chão e estufar as redes no Beira-Rio.
Eu lembro de ver Tinga ser expulso por fidelidade a Deus.
Eu lembro de ver Clemer defender uma bola no ângulo aos 45 do segundo tempo.
Eu lembro de ver o INTER CAMPEÃO DA LIBERTADORES e de cair exausto, aos prantos, no cimento gelado e molhado do Beira-Rio.
Eu lembro de ver Fernandão erguendo a taça.
Eu lembro de ver Sóbis carregar uma bandeira gigante no Beira-Rio e de chorar sentado no gramado.
Eu lembro de ver o Pato acabando com um jogo no Palestra Itália.
Eu lembro de ver o INTER embarcar rumo ao Japão, numa manhã quente de dezembro.
Eu lembro de ver o INTER no Jornal Nacional, com reportagens de Marcos Uchôa.
Eu lembro de ver o INTER treinando com roupas de inverno, luvas e toucas ninja.
Eu lembro de ver o INTER vencer o Campeão Africano em Tóquio.
Eu lembro de ver o INTER entrando todo de branco em Yokohama.
Eu lembro de ver o INTER perfilado junto ao Barcelona.
Eu lembro de ver o INTER forte, aguerrido, bravo e repleto de virtudes.
Eu lembro de ver Fernandão dando carrinhos dentro da área de defesa.
Eu lembro de ver Ceará não deixando Ronaldinho respirar.
Eu lembro de ver o Índio deitado no gramado com o nariz sangrando.
Eu lembro de ver Iarley puxando um contra-ataque mortal.
Eu lembro de ver o INTER fazer 1 x 0 no Barcelona.
Eu lembro de ver Clemer defender uma bola no ângulo chutada por Deco.
Eu lembro de ver todos os colorados do mundo tirando com os olhos o chute de Ronaldinho na cobrança de falta.
Eu lembro de ver o INTER CAMPEÃO DO MUNDO.
Eu lembro de ver Fernandão levantando a taça FIFA.
Eu lembro de ver o INTER sobrevoar Porto Alegre e ver o Beira-Rio lotado à sua espera.
Eu lembro de ver as ruas lotadas de colorados.
Eu lembro de ver o INTER retornar triunfante ao Beira-Rio.
Eu lembro de ter chorado muito de alegria naquela tarde.
Eu lembro de ver o placar do Beira-Rio: INTER 1 x 0 Barcelona.
Eu lembro de ver o INTER conquistar a TRÍPLICE COROA.
Hoje, faz um ano que a vida de todos os colorados começou a mudar.
Na verdade, essa mudança começou antes, mas seu marco deu-se em 16 de agosto de 2006.
Quando lembro desse dia, lembro-me de todo o sofrimento do passado e choro.
Choro por que segui firme, choro porque fui fiel.
Choro porque nada pode nos separar do INTER e, mesmo que não viessem as grandes conquistas, o INTER para sempre iríamos amar.
Parabéns, INTER! Parabéns, COLORADOS! Feliz Aniversário de 1 ano! 1 ano de vida nova! Feliz Aniversário a todos!

Nenhum comentário: