sábado, 15 de setembro de 2007

Peugeot 306: o relato da saga

Domingo, 26 de agosto, 20h

Eu estou assistindo televisão e o meu pai, para variar, está indignado com a minha irmã, em virtude de uma briga pela máquina fotográfica. Ele decide comprar uma máquina digital para ele e vai olhar os classificados da Zero-Hora na Internet. Não acha nada no site da Zero-Hora, entra no hagah e também não acha nada. Mas ele me chama para me mostrar a parte de veículos do Hagah, que eu vejo com uma pitada de humor:
- Se é tão bom assim, acha o carro que eu vou comprar.
Ele entra, pergunta que carro eu quero comprar e qual a faixa de ano. Eu sempre babava quando via um Peugeot 306 passando na rua. Se eu conseguisse, gostaria de ter um Peugeot 306. Ele seleciona, dá uns 6 ou 7 cliques com o mouse, e a primeira página com os resultados de busca aparece.
- Clica nesse pretinho aqui...

Segunda, 27 de agosto, 08h

Acordo mais cedo com o objetivo de passar na Rispoli Veículos para conhecer o carro. Olho para ele e... Sabem aquele filme do Fusca? Não, ele não se mexeu, ele não piscou nem nada. Mas é como se tivesse acontecido. Eu queria que o carro estivesse inteiro, que o motor tivesse em bom estado e que desse para comprar. Ou eu iria continuar abrindo aleatóriamente sites de lojas de carro e continuar procurando. Chamei o meu pai para ver o carro, ele vai,acha e acha legal. Saio para dar uma volta na quadra com o carro e...

Segunda, 27 de agosto, 13h30min

Saio de casa disposto à falar com o vendedor, tentar chorar um pouquinho para que o preço seja diminuído e fechar negócio. Esqueci de levar cheque para dar um sinal e não tinha dinheiro na carteira. No fim das contas, pedi para o meu pai levar o meu talão de cheques, ele levou o dele também e compramos. Foram dois cheques, um do meu pai e outro meu. Paguei aproximadamente 75% do valor do carro, e o meu pai pagou emprestou o resto. Claro, foi um daqueles empréstimos de pai pra filho. Pago quando eu quiser, como eu quiser. Claro que eu combinei com ele como eu iria pagar e vou fazer o máximo para cumprir com o que eu prometi.

Terça, 28 de agosto, 17h30min

Meu pai vai até a empresa onde trabalho, dirigindo meu carro. Devido à minha condição semi-falida tedno comprado o carro antes de receber o pagamento (fim do mês), ele já me dá o carro com R$ 50 de gasolina. Ele leva a moto e eu vou dirigindo o meu carrinho para casa.

Hoje

Faz aproximadamente umas três semanas que eu estou com ele, e já fiz algumas coisas. Coloquei alarme, som, limpei os bicos injetores, consertei os bancos, coloquei 6 pessoas dentro do carro, viajei, etc. Não tive aquela decepção de "Putz, comprar carro usado é foda". Tem algumas coisinhas por fazer, como qualquer carro usado, mas nada relacionado à mecânica. E esse tipo de coisa pode ser feita aos poucos.

Alguém quer carona? ^^

Nenhum comentário: